quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

A escolha é das damas

Cavalheiro no tempo de Jane Austen
escolhendo qual será sua parceira
para a próxima dança.
     Que maravilha se sempre tivesse sido assim: "As damas escolhem" ! Aqui estamos falando especificamente de um parceiro para dançar, mas em vários aspectos isso teria sido muito bom.
     Uma cena linda que sempre me lembro é a de "Ao mestre com carinho" ("To sir, with love"/1967)
onde  Pamela Dare (Judy Geeson) tira o professor Mark Thackeray (Sidney Poitier) para dançar na formatura. Achei tudo tão simples e tão singelo! O professor Mark (um engenheiro, na verdade), todo certinho e disciplinado, tentando aprender a dança a qual ele não estava acostumado, os passos, os alunos outrora rebeldes, agora transformados observando... Lulu, a cantora que no filme interpreta uma aluna, anuncia the Ladies' choice (a escolha das damas). Que bom para  Pamela, que ruim pra Elisabeth Bennet  ("Orgulho e preconceito") que mesmo tentando convencer Mr. Darcy quão bom era dançar, 
Captura de tela - 
"Orgulho e preconceito" - 2005
não conseguiu que ele se habilitasse... Pelo que conheço Lizzie (sou uma antiga amiga) ela amaria escolher seu par ao invés de ficar esperando que alguém lhe pedisse a próxima dança, sendo  Mr.Darcy ou Mr. Collins, mas... minhas comparações entre as duas situações vão além (capturas de tela de "Ao mestre com carinho"/1967 e "Orgulho e Preconceito"/1995 e 2005):
A "orquestra"
As beldades femininas
As beldades masculinas
Os vestidos brancos...o de Lizzie
em musselina e o MARAVILHOSO 
em crochê de Pamela (quero um!)
Quando a escolha é masculina
e quando a escolha é das damas
Tentando acertar o passo,
cada um do seu jeito
Ainda acertando o passo e ainda...
cada um a seu jeito...
Passo acertado ou...uma síncopa
     Então, pra quem achou que essas duas passagens não tinham nada a ver, vou colocar as comparações (claro, que minha mente fez).

  • Ambos se passam na bela Inglaterra
  • Um, digamos em 1813 e outro 1967
  • Um, onde a mulher é submissa, outro em plena emancipação feminina
  • Duas moças bonitas e decididas.
  • Em um, a dama se dá conta que está apaixonada por quem sempre desprezou e foi contra suas idéias e atitudes; em outro, a dama se apaixona por aquele que achava um "careta" e que igualmente não aprovava suas atitudes e idéias de disciplina e regras.

   Parece a mesma coisa... Pois é... É o amor... Em qualquer época.
    
  Essa cena ("Ao mestre com carinho"), eu guardei por muitos anos e me lembrava até da música; acho que assisti numa Sessão da Tarde quando tinha por volta de 13 anos (faz tempo) e nunca mais vi, fui assistir novamente depois de muitos anos e me emocionei da mesma forma de quando era adolescente. 
Sidney Poitier é um ator excelente e essa cena do professor Mark tentando achar o ritmo e o passo para acompanhar a jovem Pamela no maior estilo anos 60 é muuuiito linda! E o vestidinho branco de crochê? Babei!
    Coloquei aqui o vídeo com a cena da dança, seguida de Lulu cantando o inesquecível tema "To sir with love". Espero que vocês "babem" também e não chorem muito até o fim do vídeo.
     O filme completo está aqui pra quem ainda não teve a oportunidade de ver. É um clássico. Vale muito a pena.
video
    Lições de vida e romance...

2 comentários:

  1. Patricia,

    dá para acreditar que eu não lembro se assisti esse filme?

    Preciso procurar no Netflix.

    ResponderExcluir
  2. Raquel,

    poder ser que tenha visto há tempos como eu, mas sem dúvida vale a pena, é muito bonito. Não encontrei no Netflix, mas não sou muito boa pra encontrar os filmes lá, talvez vc tenha mais sorte, de qualquer forma, é um clássico e está a venda em muitos lugares, caso não queira assistir pelo youtube, vc não vai se arrepender. abços,
    Patrícua

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar seu comentário, estou esperando por ele!