segunda-feira, 7 de maio de 2012

Jane Austen e a personalidade de suas heroínas (parte 1)

"Identificando o temperamento de cada personagem"
(Segundo o método de Jung- psiquiatra)
     Desde o primeiro tópico da série sobre a beleza que Jane Austen deu às suas heroínas, tentei frisar o lado fortemente psicológico que foi colocado. 
     É interessante observar que nos contos de fada, a princesa é sempre muito bela e dona de todas as virtudes dignas para torná-la esposa do "príncipe encantado". 
     Jane Austen escreveu seus romances com estórias fictícias (todos nós sabemos disso), mas funciona quase como um conto de fadas para nós adultos que observamos os passos dos heróis e heroínas de seus romances. Parece que todos querem "imitar" em algo o que esse(a) fez, como procedeu e de fato isso não é falta de personalidade, afinal a literatura (a boa literatura) nos traz situações que muitas vezes passamos em nosso dia a dia e isso acaba sendo algo natural do ser humano, pois nos espelhamos em outros de nossa espécie. 
     É muito interessante como JA, uma mulher que nasceu 100 anos antes de Jung (psiquiatra austríaco nascido em 1875), quando nem se sabia o que era um psicólogo, soube separar e classificar tão bem tipos humanos. 
     É certo que ela não se aprofundou em tipos de personalidades para compor suas personagens e nem conhecia psicologia e os psicólogos se não conhecem deviam conhecer Jane Austen para entender melhor seus pacientes,  mas explorou em suas obras quase todos os tipos que surgem das combinações das quatro análises básicas de comportamento*. Ela era sem dúvida uma pessoa muito a frente de seu tempo!
   Segundo Jung, os indivíduos podem ser classificados em 16 tipos diferentes de personalidades:


     Esses 16 tipos, são resultantes da combinação de quatro tipos de comportamento:

*Comportamentos:
Extrovertido ou Introvertido – (Como flui a energia mental) É o caráter de alguém ser mais comunicativo ou mais recatado. Se tem ou não facilidade em fazer amizades, falar de si próprio ou é mais reservado, pensativo.
Sensitivo ou Intuitivo – (Como as informações são recolhidas) É o caráter de obter informações através de fatos concretos, de forma prática e mais materialista ou de forma a observar mais suas crenças e se levar pela sua imaginação e pensamentos.
Racional ou Emocional – (Como tomamos decisões)
Se julgam os fatos de forma lógica e sem deixarem seus sentimentos influenciarem uma decisão, sempre levando em conta os prós e os contras ou se tomam suas decisões baseadas em seus sentimentos e no que for conveniente no momento.
Julgador ou Perceptivo -  (A maneira de ver o mundo)
Se tomam decisões rapidamente e não pensam muito para agir diante de determinado fato ou se suas decisões são bem pensadas e têm medo do arrependimento.
    As letras abaixo dos tipos principais, são abreviações do inglês e são utilizadas para uma classificação universal. Forma-se então a seguinte tabela:
E – Extrovertido         ou                I – Introvertido
S – Sensitivo              ou               N – Intuitivo 
T – Racional               ou                F – Emocional
J – Julgador                ou               P – Perceptivo 
  Combinando-se dois tipos principais de temperamento, teremos quatro grupos de personalidade:

Protetores      SJ                    Sensitivo Julgador
Criadores       SP                    Sensitivo Perceptivo
Intelectuais    NT                    Intuitivo  Racional
Visionários     NF                    Intuitivo   Emocional

     Tomemos atenção que todos os tipos de personalidade podem ter seu lado positivo (habilidades naturais que todo indivíduo tem) e negativo (defeitos que também são naturais, mas podem superar as qualidades em se tratando de uma personalidade problemática).
     As personagens de Jane Austen são "pessoas comuns" e portanto, alguns tem qualidades em grande quantidade enquanto outros fizeram com que suas características negativas se tornassem a maioria em seu caráter.
   É muito interessante ressaltar que lendo a descrição positiva e negativa, podemos “imaginar” defeitos nos heróis e heroínas e também qualidades nos antagonistas, o que é muito natural, afinal, ninguém é feito somente de defeitos ou apenas de qualidades. Claro que não foi isso exatamente que Jane Austen nos propôs, ela enfatizou como narradora literária aquilo que lhe interessou mostrar em cada personagem, para que a obra se tornasse interessante. De nada valeria mostrar os defeitos de Jane e Elizabeth Bennet e salientar as qualidades de Mary e Lydia, mas com certeza como todo mundo, imperfeições e habilidades existem.
  Primeiramente vamos abordar as heroínas. A primeira da série será Anne Elliot.     Achei bem interessante brincar com isso...


Outros tópicos desta série:
Jane Austen e a personalidade de suas heroínas 1

3 comentários:

  1. Patricia,

    na próxima semana mencionarie esta sua nova série sobre Jane Austen no meu Jane.

    Aguardo ansiosa o texto sobre Anne, personagem que gosto muito mas que não agiria como ela de maneira nenhuma!

    ResponderExcluir
  2. Raquel,

    Obrigada, também estou ansiosa para postar a continuidade desta série. Anne é muito doce e desta vez será a primeira. Abçs.

    ResponderExcluir
  3. Já fiz esse teste algumas vezes e sempre o meu resultado dá ISTJ, O inspetor. Fico imaginando se há algum personagem de Austen assim, e se vou gostar de me identificar com ele(ela) hehehe

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar seu comentário, estou esperando por ele!